Quais os riscos dos toners remanufaturados

Cartuchos de tinta remanufaturados costumam ser muito atraentes para os consumidores, principalmente em ambientes corporativos, que utilizam impressoras e multifuncionais diariamente, acabando por ter um algo consumo de tinta por mês. O custo reduzido do cartucho remanufaturado acaba representando um corte de gasto nos gastos da empresa, por um resultado de impressão similar. Porém analisando os prós e contras deste tipo de cartucho, você irá verificar que a relação custo-benefício dos remanufaturados nunca será igual a de cartuchos e toners originais.

O primeiro fator é a qualidade de tinta do cartucho remanufaturado, sempre inferior ao modelo original tanto em tonalidade quanto em secagem e durabilidade. Por não contar com a mesma tecnologia de fabricação, a impressão com cartuchos “piratas” ou mesmo bulk ink apresentam cores desbotadas, além de haver o risco de borrar a página assim que ela sai da impressora, por necessitar maior tempo de secagem. Logo é totalmente desvantajoso o uso deste tipo de cartucho na impressão de fotos, gráficos, apresentações ou outro tipo de impressão colorida.

Mesmo assim, empresas e escritórios que utilizam a impressora apenas para necessidades internas, principalmente impressão de texto, pode considerar que não há visualmente grande diferença entre o resultado final, ao comparar os modelos remanufaturados com os cartuchos originais. E mesmo as possíveis falhas na impressão não causaria transtorno. Porém além da qualidade de impressão há outro risco maior, a de danificar a impressora internamente.

Cartuchos remanufaturados costumam utilizar carcaças vazias de cartuchos usados. Ou seja, cartuchos que já sofreram o desgaste natural para a qual foram projetadas. Este tipo de material desgastado pode gerar vazamento de tinta após a impressão, que pode deixar resíduos na cabeça de impressão ou em partes elétricas importantes do equipamento. Este acúmulo de resíduo acaba por danificar a máquina a ponto de não ser mais possível utilizá-la, sendo necessário o reparo. E utilizar produtos não-originais no equipamento configura “mau uso”, logo tirando do usuário o direito ao prazo de garantia. E raramente uma fabricante ou fornecedora de cartuchos remanufaturados irá reembolsar ou pagar o conserto de uma impressora danificada devido aos seus produtos.

Além de tudo isso, cartuchos e toners originais podem parecer caros no momento da compra, porém fazendo o cálculo você poderá verificar que o custo por página costuma ficar abaixo de R$0,10 em impressoras de última geração. Existem inclusive toners e cartuchos de alto rendimento que reduzem ainda mais o custo para até mesmo R$0,01 por página!

O funcionamento dos toners.

As impressoras com tecnologia laser possuem um processador e memória RAM. A imagem ou texto que deseja imprimir é carregado na memória e enviado ao processador.

Outra peça nas impressoras laser é o cilindro fotorreceptor, que é carregado com energia eletrostática. Por meio do fio de corona, ele carrega todo o cilindro com carga positiva. O canhão de laser na máquina utiliza os dados do processador e decarrega algumas partes no cilindro, com carga negativa. O cilindro fotorrecepctor ficam com cargas negativas e positivas, uma imagem é formada por energia eletroestática.

O toner possui um pó de carbono que está carregado positivamente, sobre o cilindro fotorreceptor. As cargas opostas se atraem e o pó fixa nas partes do cilindro com carga negativa. A imagem antes eletroestática ganha a camada de tinta. Quando a impressão passa pela bandeja, o papel é carregado negativamente. As partículas de pó são atraídas pois a carga é positiva.

A esteira e o cilindro apresentam a mesma velocidade para que o pigmento seja aplicado corretamente. O cilindro é descarregado para não atrair o papel de volta. Para finalizar, o fusor é um dispositivo que aquece as partículas de tinta que se unem as partículos do papel. Por isso as folhas saem quentes da impressora e não correm o risco de queimar durante o processo por conta da velocidade.

Veja as impressoras com o toner mais em conta.

As impressoras laser usam toners para seu modo de impressão. Como é um equipamento mais caro e normalmente utilizado por empresas, os toners das impressoras possuem um longo prazo de funcionamento, sendo um ótimo investimento.

Conheça três impressoras que apresentam toners com preços em conta.

Samsung Multifuncional SL-M2070FW/XAB

A multifuncional custa aproximadamente R$850,00 e seu toner tem valor médio de R$120,00, com capacidade de imprimir 1.000 páginas em resolução média. O valor da página sai por R$0,12.

Brother Multifuncional MFC 7360N

O modelo da impressora é monocromática e seu valor é de R$999,00. O toner é mais caro que a multifuncional Samsung, R$169,00 e imprime 2.600 páginas. Cada página sai por R$0,06.

Brother HL1112

A impressora não apresenta todas as funcionalidades dos outros modelos citados. Seu valor é bem mais em conta, aproximadamente R$330,00 e o toner R$89,00 realizando até 1.000 impressões. Para ter uma média, cada página sai por R$0,08.

Toner ou cartucho? Veja a diferença.

O cartucho de impressora possui tinta líquida que libera uma quantidade certa no papel. O cartucho é utilizado em impressoras jato de tinta.

O toner é usado em impressoras laser e nada mais é do que a tinta em pó aquecida. Ela é transferida por meio de cilindros onde a imagem a ser gravada passa para o papel.

O pó de toner normalmente tem uma durabilidade maior que os cartuchos. Cada um é ligado a um método de impressão diferente. Os modelos jato de tinta são mais antigos e caseiros já as impressoras laser operam com uma tecnologia recente e comum em empresas ou gráficas.

Impressora laser ou jato de tinta: escolha de acordo com suas necessidades

Uma dúvida frequente entre os internautas é qual impressora comprar. Impressora jato de tinta ou laser? Essa é a pergunta que geralmente fazem a si mesmos ou a terceiros. A resposta é: depende. Depende das suas reais necessidades. Você deseja uma impressora para uso pessoal ou profissional? Pretende imprimir em grande ou pequena escala? Suas cópias precisam ser coloridas ou na maioria das vezes serão preto e branco? Essas e outras perguntas ajudam muito na hora da escolha do equipamento mais adequado para você.

Pensando nisso, vamos mostrar aqui cada uma dessas impressoras e suas respectivas vantagens e desvantagens.

A impressora a jato de tinta é a mais comum, usado tanto em casa quanto para escritórios/homeoffices. Normalmente, os modelos são mais baratos, mas o preço varia muito. A principal vantagem é o preço. Elas apresentam um excelente custo-benefício para pequena escala de impressão a cores ou preto e branco, comparado a outras tecnologias. Elas usam o sistema de gotejamento, ou seja, a tinta fica armazenada em pequenos cartuchos, que liberam as cores no papel conforme a demanda. Esse tipo de impressora pode imprimir em uma variedade de papéis. Os modelos mais potentes também imprimem fotografia devido a qualidade das cores ser melhor comparado à impressora laser. Outro fator importante é o uso dos cartuchos. Eles são mais baratos que os toners, mas rende menos. Entretanto, esse tipo de impressão apresenta algumas desvantagens. Com o passar do tempo, a tinta pode desbotar com mais facilidade, além de correr o risco de danificar a impressão com respingos d’água. A capacidade da bandeja também é limitada, logo, se você pretende imprimir grande volume, essa não é a impressora mais adequada.

Já as impressoras a laser são, em grande parte, mais caras que as jato de tinta. Isso quer dizer que você vai ter de fazer um investimento inicial, se optar por esse sistema. O preço varia muito, desde as monocromáticas que são mais em conta até as coloridas que tendem a ser mais caras. A vantagem já começa na velocidade. Elas são bem mais rápidas e imprimem em grande quantidade em menos tempo que a jato de tinta. Além disso, não fica sujeira na impressão, como resquícios de tinta por exemplo. O toner também precisa de um investimento, mas ainda assim o custo-benefício é bem maior, pois duram mais e são mais econômicos a longo prazo, além de imprimirem em grande escala.

Impressora Jato de Tinta Impressora Laser
Velocidade de impressão menor Velocidade de impressão maior
Cartucho mais barato > menor rendimento Cartucho mais caro > maior rendimento
Aparelho mais barato Aparelho mais caro
Maior qualidade de cor Impressão resistente, raramente mancha ou desbota

Fusor: Os componentes, o funcionamento, possíveis problemas, substituição e custos.

Na impressora a laser, a peça mais necessária para criar uma folha impressa é o tambor, mas o fusor não fica atrás, pois é ele que faz com que a imagem não borre, criando uma ligação permanente entre o toner e o papel. Tendo isso em vista, iremos explicar minuciosamente como é a dinâmica do fusor.

No processo de fusão, existem dois componentes que são controlados por roletes: aquecimento e pressão. Depois que a imagem passa pelo tambor e recebe o toner, o papel passa entre os roletes que formam o conjunto fusor. O aquecimento é feito por uma lâmpada de quartzo presente no rolo de aquecimento e controlada por um termostato. Ao ligar uma impressora a laser, inicia-se o processo de aquecimento e o tempo que isso ocorre vai depender da velocidade que a lâmpada de quartzo aquece. O termostato tem a função de equilibrar a temperatura de aquecimento. Como o rolo de aquecimento é o componente que mais consome energia, algumas impressoras possuem a opção “standby”, que poupa energia. Todavia, para imprimir você precisa esperar que o fusor aqueça novamente.

O funcionamento:

A imagem é formada no papel através da transferência eletrostática de toner do tambor. No entanto, o toner está apenas na superfície, correndo o risco de borrar ou espalhar o toner. Após essa etapa, o papel passa entre os rolos de aquecimento e de pressão do fusor. O toner, que é feito à base de plástico, derrete e é pressionado contra a folha para que haja a aderência. O rolo de aquecimento é revestido com um material anti-aderente, tipo teflon, visto que ele entra em contato direto com a imagem sobre o papel. O material anti-aderente faz com que o toner não grude no rolo. Essa dinâmica de fusão é semelhante a das fotocopiadoras.

Possíveis problemas:

O conjunto do fusor da impressora a laser é o componente que mais exige reparos, pois poeira no papel e resíduos de toner podem acumular, arranhando o rolo e criando marcas indesejáveis na impressão. Pode ocorrer também de o toner soltar após a impressão, a lâmpada queimar e o termostato falhar, tendo de substituí-los.

Substituindo o fusor:

Antes de verificar ou trocar o fusor, espere esfriar completamente para evitar queimaduras, pois rolos de aquecimento podem atingir temperaturas muito altas. Depois que esfriar e retirar o fusor, limpe a poeira e os detritos que ficam acumulados dentro do equipamento. Em seguida, execute o guia de instruções da impressora para descobrir o que significam as mensagens de erro. O erro mais comum é o aquecimento inadequado.

Custos:

O preço do conjunto do fusor, bem como a subtituição de outras peças da impressora a laser, vai depender do modelo e do fabricante. Mas, de antemão, o preço costuma variar entre R$ 150 e R$ 800.

Já comprou a sua impressora a laser?

Pois garanta já a sua Multifuncional Laser Brother DCP 8112DN. Ela é Ideal para o seu desktop ou negócios, combina a impressão monocromática de até 38ppm com a digitalização em cores além de possuir um design compacto. Além disso, ela oferece na impressão a função duplex automática (frente e verso), com capacidade padrão de 300 folhas de papel sendo 35 páginas a mais no alimentador automático de documentos.

Você pode encontrá-la nas seguintes lojas:

– Office Total Shop: goo.gl/wGc3Gk

– Kalunga: goo.gl/7xXvnN

– Submarino: goo.gl/qXpk7y