TSE inicia processo de compra de impressoras para as urnas

Com a proximidade das Eleições 2018, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) iniciou em novembro os procedimentos de aquisições de materiais e equipamentos que darão suporte ao pleito. Entre as aquisições, destaca-se a compra de impressoras, que serão acopladas às urnas eletrônicas para garantir o cumprimento do que está previsto na Lei nº 13.165/2015, que instituiu o voto impresso. A previsão é que a licitação das impressoras aconteça em janeiro.

Em 2018, os mais de 140 milhões de eleitores irão às urnas no dia 7 de outubro para escolher presidente da República, governadores, senadores e deputados. No momento do voto, o eleitor terá a oportunidade de conferir se o que está no papel coincide com o que digitou na urna eletrônica, mas não haverá contato entre o eleitor e o papel impresso.

Apesar da inclusão do voto impresso a partir das próximas eleições, na prática, o ato de votar não será modificado com a medida. O que ocorrerá é que as urnas passarão a contar com impressoras, para registrar em papel o voto, que somente poderá ser conferido pelo eleitor por meio de um visor e cairá diretamente num espaço inviolável, que estará acoplado à urna eletrônica. Se a impressão não corresponder ao voto digitado, o mesário deverá ser avisado. Para preservar a inviolabilidade e o sigilo do voto, o eleitor não poderá tocar ou levar com ele o voto impresso. Os votos impressos somente valerão como subsídio em uma eventual auditoria a ser feita em uma urna em particular.

“A votação continuará eletrônica, mas um boletim será impresso e arquivado em uma urna física lacrada para futura conferência, caso seja necessário”, explica Giuseppe Janino secretário de Tecnologia da informação do TSE.

A obrigatoriedade do voto impresso foi aprovada pelo Congresso Nacional e incluída pela Reforma Eleitoral de 2015 (Lei nº 13.165) na Lei das Eleições (Lei n° 9.504/97 – artigo 59-A, parágrafo único).

A Comissão de Reforma Política do Senado Federal chegou a retirar do texto do Projeto de Lei Complementar nº 75/2015, que originou a Lei n° 13.165, a obrigação do voto impresso.

O TSE salientou, na ocasião, ser a exigência do voto impresso contraproducente, pois o sistema eletrônico de votação já permite eficiente auditagem por agentes públicos, privados e partidários. Além disso, a Corte Eleitoral destacou que a impressão do voto poderia ser muito onerosa aos cofres públicos.

Ao examinar o PLC 75/2015 no quarto trimestre de 2015, o Plenário do Senado restabeleceu a obrigatoriedade do voto impresso na votação do projeto. Emenda ao texto, apresentada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG) e aprovada pela maioria dos senadores, retomou a impressão do voto para a próxima eleição presidencial.

Ao derrubar em dezembro de 2015 o veto da presidente Dilma Rousseff à obrigatoriedade do voto impresso, com o voto de 368 deputados e de 56 senadores, o Congresso Nacional restabeleceu a exigência no texto da lei.

(Fonte)

Saiba qual a gramatura ideal do papel para sua impressão

As atuais impressoras e multifuncionais são capazes de imprimir com excelente qualidade de cor imagem os mais diversos tipos de material, desde documentos quanto folders e cartões profissionais. Mas para obter o resultado perfeito, deve-se prestar atenção também na gramatura do papel, pois um papel inadequado para seu projeto gráfico resulta em um resultado final fraco e sem aproveitar todo o potencial da impressora. Veja aqui as diferenças entre as principais gramaturas dos papéis disponíveis no mercado:

75g: O tipo de papel mais comum, é recomendado para uso interno ou notas fiscais, avaliações, pedidos e outros documentos simples.

90g: Gramatura mais recomendada para papel timbrado, teses, propostas comerciais, contratos, e outras situações onde há uma maior preocupação com a apresentação.

115g: Utilizado para panfletos e flyers mais simples, com impressão frente e verso, porém sem dobrar.

150g: Para folders dobráveis essa gramatura é a melhor recomendada para um melhor resultado final. É a mesma gramatura utilizada em revistas e encartes de CDs e DVDs.

250g a 300g: Papel mais pesado, é o modelo correto para cartões de visitas e tags profissionais.

Além disso, também fique atento ao acabamento do papel (fosco ou brilhante) e verifique se o modelo é recomendado para jato de tinta ou impressão a laser.

 

(Fonte: ImpressorAjato.com)

Xerox lança nova linha White Dry Ink

Imagine um floco de neve com detalhes texturizados em um cartão postal, uma capa de livro com um cavalo branco em um fundo escuro ou uma propaganda com texto branco impressa em vinil. Esses tipos de acabamento são uma realidade com a nova White Dry da Xerox, inovação disponível na quinta estação de impressão da Xerox iGen 5 Press, que será lançada na Print 17, em Setembro, em Chicago.

“Esta é uma grande notícia para os clientes da iGen 5”, disse Jim Hamilton, diretor do grupo Keypoint Intelligence InfoTrends. “Este anúncio abre uma nova gama de aplicativos. Os designers vão adorar a capacidade de usar o branco em substratos coloridos e transparentes para criar itens promocionais, como folhetos, cartões de visita, cartões e convites, sinalização de pontos de venda, cartazes e cartas de mala direta e capas de livros. As oportunidades também se estendem a aplicações de embalagens como cartões dobráveis ​​”.

De acordo com a InfoTrends, o volume de aprimoramento de impressão digital deverá crescer em um CAGR de 27% de 2015 a 2020, chegando a 25 bilhões de páginas até 2020, nos EUA e na Europa Ocidental. Com a adição de White Dry Ink à plataforma iGen 5, os responsáveis pela impressão podem aplicar efeitos especiais para transformar peças impressas comuns, naquelas que exibem uma aparência única.

Nomeada vencedora do prêmio MUST SEE EMS 2017, a tinta White Dry da Xerox possui muitas vantagens, incluindo:

· A capacidade de imprimir apenas White Dry, bem como camadas brancas por baixo e em cima do sistema CMYK;
· Excelente brilho e opacidade que é possível em uma única aplicação;
· Múltiplo modo de aplicação automatizada para até duas camadas de branco. As camadas adicionais podem ser impressas manualmente para aplicações personalizadas.

“Estamos testando White Dry Ink com a nossa iGen 5 e vemos como uma grande promessa de expandir nossas ofertas para nossos clientes”, disse Alan Roberts, vice-presidente sênior da Data Communications Management Corp. “White Dry Ink tem ótimas aplicações para impressão sobre papel preto e outros papéis,  como uma base para criar cartões memoráveis, cartazes, sinalização e outras formas de materiais de marketing”.

A White Dry Ink será lançada durante o evento Print 17, entre os dias 10 e 14 de setembro, em Chicago.

Ricoh Latam firma parceria com JP.IK na distribuição de dispositivos para o setor educacional

A Ricoh Latin America e a JP.IK anunciaram a formação de uma parceria, que permitirá às duas empresas ampliar a sua oferta no mercado de Ensino, hoje em rápido desenvolvimento, da América Latina. A JP.IK é a Unidade de Negócio do grupo JP, especializada no desenvolvimento de soluções tecnológicas para o Ensino.

O acordo entre as duas empresas permitirá que a JP.IK coloque a linha mymaga Class de Dispositivos de Ensino de TI, tais como as linhas Class Plus II e Class Max, e também os novos modelos Leap, Slide e Turn, no segundo trimestre de 2017. No contexto desta parceria, a Ricoh Latin America assume o papel de ASC (Centro de Serviço Autorizado) para a região, oferecendo garantias básicas, que podem ser estendidas até uma garantia de 3 anos com Coleta e Retorno.

A companhia busca também a reforçar sua presença no mercado da América Latina, disponibilizando uma oferta destinada a todos os revendedores de TI na região que necessite disponibilidade em um curto período, além de serviços de garantia. “Esperamos, através de nossa parceria com Ricoh, expandir ainda mais nossa área de influência e, assim, contribuir para uma mudança positiva na vida de milhares de famílias nesta região”, diz o presidente do Group JP, Jorge Sá Couto.

As soluções já robustas da Ricoh para o setor de educação serão reforçadas com o uso de dispositivos da JP. “A Ricoh Latin America está comprometida com o setor de Ensino e entendemos que podemos oferecer as melhores e mais fortes soluções, quando firmamos parcerias com atores principais, como a JP.IK, que se especializa em criar soluções voltadas para o ensino. Nosso objetivo é proporcionar o melhor que existe para nossos clientes e acreditamos firmemente que esta parceria nos aproximará desse objetivo”, explica o Vice-presidente de Vendas Estratégicas, Jesus Santiago.

Como alterar driver BR-Script para impressão em Corel Draw

Muitos leitores perguntam sobre como é possível alterar os padrões de impressão do driver BR-Script, quando pretendem imprimir um arquivo do Corel Draw. Por esse motivo, encontramos esse tutorial muito simples, que serve para todos os modelos de impressoras e multifuncionais Brother que contam com emulação BR-Script.

O primeiro passo é acessar a pasta de impressoras, clicar com o botão direito do mouse em cima do driver, e entrar em propriedades. Na janela que abriu, clique na aba Avançado e em Padrões de Impressão, conforme a figura abaixo.

Dentro de Padrões de Impressão, clique no botão Avançado.

Na janela Opções Avançadas, procure por Opções de Documento, Recursos da Impressora, Bloqueio de ecrã meio-tons. Na opção Bloqueio de Ecrã Meio-Tons, o campo em frente está em Ativar. Mude para Desativar, e confirme a seleção nas janelas que se abriram.

Kyocera apresenta uma das mais rápidas cabeças de impressão do mercado

A Kyocera desenvolveu uma das cabeças de impressão de jato de tinta mais rápidas do mundo. A KJ4C-0360 é uma cabeça de impressão piezoelétrica de 360dpi, capaz de produzir na velocidade de 50 metros por minuto, disparando gotas de tinta com volumes entre 15 a 84 picolitros.

Desenvolvida para utilização industrial, a KJ4C-0360 possui largura efetiva de impressão de 109mm, trabalhando com tintas à base de óleo ou água. Além disso, a Kyocera conta com uma tecnologia patenteada de recirculação, que inibe a sedimentação e a secagem de tinta, mantendo a temperatura constante, o que previne falhas nos disparos de tinta.

A KJ4C-0360 permitirá imprimir, com alta resolução e velocidade, nos mais diversos materiais, como tapetes, cerâmicas e dispositivos médicos, como pílulas. Também é possível a impressão de qualidade em mosaico, incorporando todas as cores, desenhos e padrões possíveis.

A Kyocera expandiu sua presença no mercado europeu para a jato de tinta com a abertura de um novo laboratório de testes para cabeças de impressão em Esslingen, Alemanha.

A empresa japonesa está usando um gotas de observação em laboratório para investigar o comportamento de gotas de uma escala picoliter cabeça de impressão.

Conheça os diferentes formatos de papel

Tão importante quanto saber os tipos de papéis existentes, os formatos também devem receber atenção especial, isso porque as máquinas gráficas trabalham com os mais variados formatos e consequentemente os fabricantes e fornecedores de papel comercializam os mesmos também através desses formatos pré-existentes.

Hoje, alguns formatos especiais são utilizados com frequência objetivando um melhor aproveitamento do papel, mas, mais uma vez são esses formatos pré-exitentes que “comandam” o mercado.

O principal formato é o “DIN”. Este é um formato de papel padrão e utilizado como referência no mundo todo.

Calcular o tamanho de um tamanho de papel no formato DIN é muito fácil. Basta você saber que o maior tamanho para esse formato é o 841 x 1189 mm mais conhecido como A0. Para cada sub-formato basta dividir o lado maior do formato anterior por 2, assim:

A0 = 841 x 1189 (lado maior de A0) mm;
A1 = 841 x 1189/2, ou seja, 594 mm;
A1 = 841 (lado maior de A1) x 594 mm.

A2 = 841/2 x 594 mm;
A2 = 420 x 594 (lado maior de A2) mm.

A3 = 420 x 594/2 mm;
A3 = 420 (lado maior de A3) x 297 mm.

A4 = 420/2 x 297 mm;
A4 = 210 x 297 mm. (Olha aqui o tão famoso A4 vendido nas papelarias.)

E assim por diante.

Outros dois formatos muito utilizados especialmente no Brasil, são o formato AA e o formato BB, especialmente o BB 66×96 que é o formato de papel mais comercializado hoje no mercado gráfico.

Formato DIN
A0 – 841 x 1189 mm
A1 – 594 x 841 mm
A2 – 420 x 594 mm
A3 – 297 x 420 mm
A4 – 210 x 297 mm
A5 – 148 x 210 mm
A6 – 105 x 148 mm
A7 – 74 x 105 mm
A8 – 52 x 74 mm
A9 – 37 x 52 mm
A10 – 26 x 37 mm
A11 – 18 x 26 mm
A12 – 13 x 18 mm

Formato AA
AA – 76 x 112 cm
A – 56 x 76 cm
½ A – 38 x 56 cm
¼ A – 28 x 38 cm
1/8 A – 19 x 28 cm
1/16 A – 14 x 19 cm
1/32 A – 9 x 14 cm

Formato BB
BB – 66 x 96 cm
B – 48 x 66 cm
½ B – 33 x 48 cm
¼ B – 24 x 33 cm
1/8 B – 16 x 24 cm
1/16 B – 12 x 16 cm
1/32 B – 8 x 12 cm

O que é o efeito Moiré

O efeito Moiré, também conhecido com efeito de onda, é uma distorção na imagem, muito comum em fotografias digitais, digitalização de fotos ou mesmo em impressões. Essa distorção deixa em evidência os dpi’s, que são os pontos que formam a imagem, deixando a qualidade final muito abaixo do esperado.

Quanto maior a resolução de imagem do equipamento, menor o risco de sofrer com o efeito moiré, seja na captura da imagem, quanto em impressão e digitalização, já que quanto mais pontos por linha, menor a percepção deles no resultado final, chegando a ficar quase imperceptível.

Saber utilizar o Photoshop também colabora com a prevenção e correção do efeito moiré, permitindo verificar os canais de cores, identificar o efeito em cada um deles, e aplicar o Gaussian Blur para resolver o problema.

Qual a resolução ideal para a sua impressão?

DPI (dots per inch, pontos por polegadas) é a medida utilizada pelos fabricantes de impressora para determinar a resolução da imagem impressa. Normalmente máquinas para uso residencial possuem menor resolução máxima, enquanto as impressoras fotográficas têm um elevado valor de dpi. Veja quais são as resoluções mais utilizadas.

150 dpi – É a resolução utilizada em muitos jornais, por exemplo. É uma resolução indicada para documentos de texto, preferencialmente para uso interno. Não é recomendado para imagem.

300 dpi – Resolução de melhor qualidade para documentos de texto. Imagens ficam com melhor qualidade, porém para material publicitário (folders, cartões, apresentações) uma resolução superior é melhor recomendada.

600 dpi – Alta qualidade de imagem. Impressoras com essa resolução são capazes de imprimir imagens com boa nitidez e cores fortes.

1200 dpi – Resolução fotográfica com maior realismo de cores. Utilização por profissionais do setor gráfico.

Acima de 1200 dpi – Alto realismo de cor, definição e nitidez. Resolução indicadas para fotógrafos profissionais.

Startup cria máquina que “imprime”drinks.

Já pensou se você pudesse escolher cada detalhe do seu drink? A quantidade do açúcar e do álcool, mais ou menos gelo, tudo de acordo com o sua preferência.

A Boozebox é um startup que teve essa ideia e com isso desenvolveu uma máquina homônima que “imprime” drinks conforme o gosto do cliente. Se você gostou muito do drink e quiser repetir, a máquina fará o trabalho e a bebida sairá igual.

A marca Absolut gostou da ideia e está estreando o projeto no bar da Companhia da Cerveja, na Vila Madalena, em São Paulo. Um dos pontos principais da marca é manter o barman que irá acompanhar o processo dos pedidos dos clientes. São mais de 200 drinks, misturados com vodka, whisky, rum e cachaça.

Para os donos do bar, a grande vantagem é eficiência no atendimento pois os drinks são feitos com agilidade e os pedidos dos clientes são mais precisos já que eles escolhem cada item na bebida. O bônus dessa ideia é a economia, com a Boozebox é possível economizar 15% de produtos, evitando desperdícios comuns.