O que é Energia Vampira?

A energia vampira também é conhecida como carga fantasma, ela é consumida quando aparelhos eletrônicos não estão sendo usados. Por exemplo: deixar o carregador do celular na tomada sem carregar o aparelho gasta energia, a luz vermelha que aparece quando a TV está desligada significa que ali a energia é consumida.

Todos esses hábitos desnecessários relacionados ao gasto de energia precisam ser mudados. O custo da energia elétrica está cada vez mais alto e pesa cada vez mais no bolso (a ainda tem os prejuízos ao meio ambiente).

Veja algumas dicas para evitar a energia vampira e garantir a economia na conta de luz:

– Procure deixar os aparelhos que não estão sendo usados desconectados da tomada;

– Utilizar um filtro de linha é uma ótima opção. Você pode conectar todos os aparelhos a ele e desligar de uma vez;

– Escolha sempre produtos certificados pelo Energy Star;

– Tente corrigir os hábitos ruins.

Veja como economizar nas impressões.

Há formas de imprimir com economia, aqui você vai conhecer algumas dicas para utilizar no seu dia-a-dia, tanto em casa quanto no trabalho.

– Letra

A Ecofont é uma fonte econômica e é ideal para quem deseja imprimir textos e evitar o desperdício de tinta. A diferença da fonte é que ela possui espaços vazios na parte interna, economizando ao imprimir.

Há diferença entre as fontes Century Gothic, Arial e Times New Roman. A Century gasta menos ao imprimir mas por conta do espaçamento maior ela consome mais papel. A Times fica em terceiro lugar em economia.

– Papel e Configuração

Para cada tipo de impressão existe um papel específico e que dará o resultado final desejado. As impressoras vem com um tipo de configuração para cada impressão, observe antes de começar o processo se a máquina está configurada corretamente para o que deseja.

A recomendação mais comum é sempre pensar antes de imprimir qualquer coisa. Veja se há necessidade. O gasto não é só da tinta mas o papel é muito utilizado e qualquer economia alivia no orçamento.

Saiba o que é GED.

GED significa Gerenciamento Eletrônico de Documentos, ele tem a função de facilitar na organização das informações de uma empresa. O GED apresenta 5 etapas: captação, gerenciamento, armazenamento, distribuição e preservação.

Esse gerenciamento auxilia na redução de gastos e constrói um trabalho  mais sustentável. O GED organiza toda papelada da empresa utilizando apenas o computador. Assim fica muito mais fácil achar qualquer documento quando for necessário.

Cartuchos vazios? Veja o que fazer.

Um cartucho leva em média 100 anos para se decompor. Hoje, as empresas já disponibilizam pontos para a coleta do material, com o intuito de não agredir o ambiente.

O cartucho recolhido é reaproveitado pela própria empresa que desmonta e reutiliza suas peças como matéria-prima e pode repassar para outras indústrias.

Sustentabilidade na hora da impressão

Por mais que existam formas para imprimir de maneira sustentável, alguns equipamentos podem fazer esse trabalho de forma e ecologicamente correta graças aos avanços tecnológicos.

Os modelos de impressora RISO Comcolor 9050 e RISO Comcolor 3050 possuem sistema jato de tinta multifuncional e é ideal para escritórios de pequeno porte.

Esse tipo de impressora vem com selo Energy Star, consomem menos energia que os equipamentos com tecnologia laser e não emitem ozônio e partículas  de toner

Plástico retirado do mar é reaproveitado por impressora 3D

O projeto Sea Chair, que significa “Cadeira do Mar” tem o intuito de chamar a atenção para a poluição dos mares com o plástico, usando móveis feitos com o material.

Os idealizadores, Azusa e Alex, desenvolveram uma máquina que derrete o plástico encontrado, e uma impressora 3D usada dentro do mar ou em terra firme.

O projeto agora acontece em um navio chamado “Dragão do Mar”, que descobre o plástico nos oceanos e que levará a equipe a grandes zonas onde o material é encontrado, chamados de “Gyres”.

 

 

Veja o filme sobre o projeto no link abaixo:

Sea Chair from Studio Swine on Vimeo.

Impressora 3D reaproveita materiais reciclados

A impressora 3D-Reprinter é um projeto de designers que funciona a partir de materiais plásticos recicláveis.

O plástico é transformado em matéria-prima e é utilizado nas impressões 3D. O conceito sustentável ainda está no papel e promete inovar o mercado de impressoras 3D.

Novas tecnologias de impressões e a sustentabilidade

Com o uso de impressoras 3D no Brasil, o faturamento de grandes empresas cresceu consideravelmente.

De acordo com o presidente da Cliever Tecnologia, Rodrigo Krug, a impressora 3D é muito usada para produzir protótipos de peças que poderão ser testadas pelas indústrias antes da fabricação em larga escala.

A emissão de 30 milhões de toneladas do CO2 é evitada com o não uso do carvão. Quando substituído pelo gás natural, 15 milhões de toneladas de CO2 não atingem o planeta.

Como usar o cartucho recarregável

Primeiro veja se a sua impressora aceita cartuchos recarregáveis. Caso aceite, escolha sempre produtos originais e de alta qualidade para não danificar a máquina.

As tintas precisam ser originais para garantir um bom funcionamento da impressora, sem estragos imediatos ou futuros.

Faça recargas apenas se a tinta terminar. Evite recarregar pela metade, você pode ter usado uma tinta e depois trocar a marca, isso pode prejudicar o cartucho.

Algumas tintas são mais práticas para aplicar por possuírem o bico dosador. As tintas que não possuem, utilize uma seringa plástica descartável e realize o procedimento.

Respeite sempre o nível de recarga, assim você evita vazamentos e problemas com a impressora.

Jamais insira outro tipo de tinta que não seja especial para recargas. O prejuízo em seu equipamento será irreversível.

Caso você tenha dúvidas para fazer a recarga, procure uma loja especializada para não correr riscos.

Papéis Certificados: entenda por que são melhores.

A sustentabilidade é um assunto em alta e já faz parte da realidade de muitas empresas brasileiras, principalmente no ramo de produção de papel. A Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa) garante que as empresas do setor contempam o tripé econômico, ambiental e social, tomando a sustentabilidade como prioridade.

Por que os papéis certificados são a melhor escolha?

O papel produzido pela International Paper é proveniente de florestas de eucalipto, cultivadas no esquema de mosaico integrado com a mata nativa. Esse método preserva 2,9 milhões de hectares das florestas brasileiras. Além disso, emprega 115 mil pessoas diretamente e 575 mil pessoas indiretamente ajudando no desenvolvimento de comunidades locais.

Para descobrir se o papel que você utiliza repeita as normas de sustentabilidade basta ver o selo. Antes das empresas receberem essa certificação, os órgãos responsáveis fazem pesquisas e investigações sobre o processo de fabricação do produto, considerando o respeito às leis trabalhistas, as relações com a comunidade e o respeito ao meio ambiente.

Duas certificações se destacam nesse ramo: O Forest Stewardship Council (FSC), que é um selo internacional criado na década de 90, a fim de controlar a produção florestal. Essa certificação garante o bom manejo das florestas e se preocupa com a conservação do meio ambiente trazendo benefícios sociais e viabilidade econômica. Já o Programa Brasileiro de Certificação Florestal (Cerflor), lançado em 2002, surgiu para atender a demanda do setor florestal brasileiro.