“A Guerra das Tintas”: O combate à pirataria no mercado de cartuchos para impressoras

Uma atualização de firmware criada pela HP para seus modelos de impressora no mês de setembro surpreendeu seus usuários. Ou, pelo menos, os que utilizavam cartuchos genéricos ao invés dos originais. De uma hora para outra as versões alternativas deixaram de ser reconhecidas pela impressora, inutilizando-as. Este é mais um capítulo da guerra entre as fabricantes de impressoras para combater o consumo de cartuchos não originais.

“Este é um fenômeno global. Na América do Norte a estimativa é que 16% dos proprietários de impressoras e multifuncionais utilizem cartuchos remanufaturados ou clonados. No Brasil você encontra em cada esquina alguém oferecendo o serviço de recarga de cartucho de tinta”, diz Anderson Martins, da Impressora.com.

Nos últimos anos a indústria de cartuchos genéricos se fortaleceu, com versões mais baratas que as originais, fabricados principalmente na China e comercializados pela internet. A queda nas vendas de cartuchos originais, devido à concorrência com esses modelos clones, gera grandes preocupações para fabricantes como a HP, que tem no mercado de cartuchos uma importante fonte de lucro.

“Os cartuchos desempenham um papel importante no modelo de negócio dos fabricantes de impressoras. Eles costumam vender suas impressoras com uma margem de lucro baixa, esperando recuperar através da venda contínua de consumíveis”, explica Martins.

Seguindo um caminho diferente, a japonesa Epson lançou no mercado suas impressoras com bolsa de tinta. Essa bolsa não só substitui o cartucho de tinta, como conta com ultra rendimento, dispensando a troca da bolsa durante toda a vida útil do equipamento. Além disso fabricantes como a Brother e Canon contam com modelos que utilizam tanques de tinta.

A recente aquisição da operação de impressoras Samsung pela HP por US$1,1 bi colocou em alerta fabricantes de cartuchos compatíveis. Conhecida por possuir uma tecnologia indecifrável de bloqueio de cartuchos genéricos, a Samsung agora deve passar seu segredo a frente e acirrar ainda mais a guerra das tintas.

O funcionamento dos toners.

As impressoras com tecnologia laser possuem um processador e memória RAM. A imagem ou texto que deseja imprimir é carregado na memória e enviado ao processador.

Outra peça nas impressoras laser é o cilindro fotorreceptor, que é carregado com energia eletrostática. Por meio do fio de corona, ele carrega todo o cilindro com carga positiva. O canhão de laser na máquina utiliza os dados do processador e decarrega algumas partes no cilindro, com carga negativa. O cilindro fotorrecepctor ficam com cargas negativas e positivas, uma imagem é formada por energia eletroestática.

O toner possui um pó de carbono que está carregado positivamente, sobre o cilindro fotorreceptor. As cargas opostas se atraem e o pó fixa nas partes do cilindro com carga negativa. A imagem antes eletroestática ganha a camada de tinta. Quando a impressão passa pela bandeja, o papel é carregado negativamente. As partículas de pó são atraídas pois a carga é positiva.

A esteira e o cilindro apresentam a mesma velocidade para que o pigmento seja aplicado corretamente. O cilindro é descarregado para não atrair o papel de volta. Para finalizar, o fusor é um dispositivo que aquece as partículas de tinta que se unem as partículos do papel. Por isso as folhas saem quentes da impressora e não correm o risco de queimar durante o processo por conta da velocidade.

Veja as impressoras com o toner mais em conta.

As impressoras laser usam toners para seu modo de impressão. Como é um equipamento mais caro e normalmente utilizado por empresas, os toners das impressoras possuem um longo prazo de funcionamento, sendo um ótimo investimento.

Conheça três impressoras que apresentam toners com preços em conta.

Samsung Multifuncional SL-M2070FW/XAB

A multifuncional custa aproximadamente R$850,00 e seu toner tem valor médio de R$120,00, com capacidade de imprimir 1.000 páginas em resolução média. O valor da página sai por R$0,12.

Brother Multifuncional MFC 7360N

O modelo da impressora é monocromática e seu valor é de R$999,00. O toner é mais caro que a multifuncional Samsung, R$169,00 e imprime 2.600 páginas. Cada página sai por R$0,06.

Brother HL1112

A impressora não apresenta todas as funcionalidades dos outros modelos citados. Seu valor é bem mais em conta, aproximadamente R$330,00 e o toner R$89,00 realizando até 1.000 impressões. Para ter uma média, cada página sai por R$0,08.

A função das fitas matriciais.

As impressoras matriciais são pouco conhecidas e é uma máquina de nível industrial, muito utilizada para produção em grande escala e preparada para aguentar muito trabalho.

As fitas de impressão matricial funcionam para transmitir os dados para o papel. As fitas garantem que o equipamento mantenha a sua vida útil e precisam ser trocadas para evitar o desgaste, ocorrido pelo uso e grande fluxo.

As impressoras matriciais imprimem vias, recibos, boletos, comprovantes usados em departamentos financeiros. É encontrada no mercado de atacado e varejo e para organizar pedidos de uma fábrica. As fitas matriciais proporcionam qualidade na impressão e rendem mais.

As impressões são feitas por meio de agulhas que marcam o papel com a mensagem processada e são muito resistentes. As impressoras matriciais são ótimas para serem utilizadas em escritórios e comércios que precisam sempre imprimir vias de um mesmo documento.

 

Veja por que a tinta amarela acaba primeiro.

Na combinação das cores básicas Amarelo – Cyan (azul) – Magenta, o amarelo é a cor mais consumida para formar outros tons. Veja as combinações mais comuns:

Amarelo + Magenta = Vermelho

Amarelo + Magenta + Azul =  Azul escuro

Ao formar apenas duas cores, o amarelo entra na composição e é considerada uma cor básica. O amarelo faz parte da formação de todos os tons de azul e na maioria das variações das tonalidades das cores existentes.

Cada cartucho possui a mesma quantidade de tinta, mas o amarelo, por consumir mais na hora de compor outras cores, é mais usado e acaba primeiro. Veja quantas vezes o amarelo aparece: para conseguir o preto é preciso combinar o amarelo, os diversos tons de azul, tons de vermelho, o preto intenso ou mais acinzentado também necessitam do amarelo.

Procure algumas dicas para conseguir economizar a tinta da impressora e manter o cartucho durando por mais tempo.

Saiba mais sobre as conexões USB.

O termo USB significa Universal Serial Bus, com a tecnologia é possível conectar aparelhos e dispositivos periféricos ao computador sem a necessidade de ligar ou reiniciar, por exemplo: mouses, impressoras, câmeras digitais, entre outros.

Com a união das empresas Microsoft, Apple, Hewlett-Packard, NEC, Intel e Agere, o padrão da USB foi criado com algumas dificuldades e por pouco sua real finalidade se perde.

Essa tecnologia foi desenvolvida para conectar até 127 dispositivos a uma única porta, ligados a um concentrador auxiliado por um hub com entradas USB. Graças a isso, você pode utilizá-los sem perder nenhuma informação porém com a velocidade de transmissão de dados prejudicada.

Na versão USB 2.0 a grande diferença para as outras é a velocidade na taxa de transmissão de dados. A USB é um dos pontos principais na hora de escolher um equipamento, sua praticidade dispensa um tipo de conector para cada dispositivo, vantagem proporcionada pela tecnologia.

A função do Snap Fill.

O Snap Fill é um adaptador muito comum usado para conectar a cabeça de impressão ao cartucho, facilitando a recarga.

Com o Snap Fill é possível evitar erros na recarga do cartucho, como por exemplo: bolhas de ar, falhas na impressão com linhas de erro e queimaduras na cabeça de impressão.

Para cartuchos coloridos, o Snap Fill auxilia para desentupir, esvaziar e retirar o ar da cabeça após recarregado. Como o cartucho colorido possui mais de uma cor, o Snap Fill não consegue encher o suprimento por conta da divisão das cores.

Em cartuchos pretos o Snap Fill tem as seguintes funções: esvaziar, encher, pressurizar, desentupir e retirar o ar, apenas pela cabeça de impressão.

O adaptador custa em média R$20,00 e é encontrado modelos de plástico, silicone e borracha. Esse adaptador aumenta a vida útil do cartucho garantindo uma economia nos suprimentos para sua impressora.

Veja como utilizar o cartucho corretamente.

Para que seus cartuchos tenham uma vida útil maior, siga algumas dicas simples na utilização do equipamento.

 

1. Não realize impressões sempre no “modo rascunho”. Mesmo que ele seja mais econômico e rápido há o risco de queimar a resistência do cartucho. Coloque a impressora no “modo normal”.

 

2. Evite ficar muito tempo sem utilizar a impressora. Dessa forma o cartucho e seu equipamento continuam funcionando normalmente.

 

3. Caso uma das cores do cartucho acabe interrompa a impressão na hora. Ao usar as cores que restam o risco de queimar o circuito do cartucho aumenta pois ele esquenta em excesso.

 

4. Mantenha sempre a bandeja de limpeza dos cartuchos sem resíduos. Fazer a manutenção na sua impressora garante um bom funcionamento do equipamento e uma durabilidade maior.

 

5. Procure não tocar na parte metálica do cartucho. Mesmo sem uma comprovação, há indícios que a pele em contato com essa parte metálica pode danificar o cartucho.

Veja as formas de aproveitamento do cartucho.

Grande parte do cartuchos utilizados nas impressoras jato de tinta possuem uma vida útil entre 12 e 24 meses. Existem algumas formas de aproveitar o rendimento do cartucho, veja como:

– Use a impressora uma vez por semana, no mínimo, para que a tinta que fica na cabeça de impressão não resseque.

– Caso uma das cores acabe no cartucho, não force as outras cores para imprimir.

– Tenha cuidado no manuseio do cartucho.

– Procure fazer o alinhamento dos cartuchos para garantir a qualidade na hora da impressão.

– Se aparecer um aviso de pouca tinta, desista da impressão.

– Para imprimir documentos que não precisam de qualidade máxima, utilize a impressão em modo econômico ou rascunho.

Conheça o papel que pode ser utilizado mais de 20 vezes

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Riverside, criaram um papel que pode ser reutilizado, na tentativa de minimizar o impacto ambiental com o uso do papel comum.

O material não precisa de tinta ou grafite, basta escrever ou imprimir utilizando um dispositivo que emite luz ultravioleta, como uma impressora desse tipo ou uma caneta.

O papel pode ser apagado através de um processo de “limpeza” por mais 20 vezes sem sofrer alteração. O material é um tipo de filme plástico.

A ideia é chegar a pelo menos 100 reutilizações do papel e reduzir muito o impacto ambiental e garante uma economia. Por enquanto a produção em massa e comercialização do papel reutilizável ainda não foram discutidas.