HP bloqueia novamente o uso de cartuchos genéricos em suas impressoras

A guerra entre fabricantes de impressoras HP contra os cartuchos de tinta genéricos ganhou um novo episódio no último mês de setembro, com uma nova atualização nos firmwares de seus equipamentos que impede a utilização caso o usuário esteja utilizando um cartucho que não seja o original da empresa.

No ano passado, a HP fez algo semelhante, distribuindo para seus clientes uma atualização que inutilizava diversos cartuchos genéricos presentes na impressora, apresentando uma mensagem de erro e impedindo a impressão até que o suprimento fosse substituído por um original. Na época essa atitude da empresa gerou muitas críticas entre os consumidores, fazendo com que a HP voltasse atrás, e retirasse essa barreira em seu firmware, assumindo não ter comunicado seus clientes da forma correta.

Porém a atitude parece ter se repetido agora, já que a barreira para cartuchos genéricos não foi informado oficialmente pela HP, porém descoberto pelo blog de tecnologia GHacks. Aparentemente o novo bloqueio para genéricos é mais sutil que o ocorrido em 2016, sendo possível até mesmo mesclar entre cartuchos originais e “piratas” na impressora. Mas caso todos os cartuchos no equipamento sejam genérico o alerta de erro será emitido.

O especialista Anderson Martins, da Impressora.com alerta que apesar da economia no valor do cartucho, o uso de modelos genéricos e remanufaturados trazem maior risco de danos ao equipamento, entre outros problemas. “A tecnologia de tinta oferecida pelos fabricantes é muito superior aos genéricos. Isso até pode não ficar aparente nas impressões mais simples, mas quando é necessário um serviço com qualidade profissional a diferença é nítida. Além da maior incidência de vazamentos e secagem da cabeça de impressão nos cartuchos genéricos.”

Até o momento foi observado que o bloqueio do firmware HP afeta os modelos das séries OfficeJet 6800, OfficeJet Pro 6200, OfficeJet Pro X 450 e OfficeJet Pro 8600. A fabricante ainda não se pronunciou oficialmente sobre o caso.

HP bloqueia novamente cartuchos de tinta genéricos em suas impressoras

A HP, há um ano, liberou uma atualização de firmware para as suas impressoras que acabava bloqueando o uso de cartuchos de tinta feitos por outras empresas que não fosse a própria HP, os chamados cartuchos genéricos. A decisão não foi bem aceita, e a companhia acabou voltando atrás e liberando o uso de cartuchos de outras marcas.

Porém no último mês de setembro, a HP lançou novamente uma atualização de firmware que bloqueia o uso de cartuchos de tinta considerados genéricos. O update foi liberado no dia 13, há exato um ano atrás, já que o último também aconteceu em 13 de setembro.

O bloqueio desta vez parece estar menos evidenciado. Em alguns modelos de impressora é possível, inclusive, usar ao menos um cartucho “pirata” sem causar qualquer problema. No entanto, quando todos os slots de cartuchos estão ocupados, a máquina acaba gerando um alerta de que algum deles pode estar danificado e precisa ser removido.

A HP, no último ano, disse que o bloqueio servia para “proteger as inovações e a propriedade intelectual” da companhia. Ao voltar atrás da decisão, a empresa disse que a deveria ter feito “um trabalho melhor de comunicar o procedimento de autenticação para os clientes”.

Xerox lança nova linha White Dry Ink

Imagine um floco de neve com detalhes texturizados em um cartão postal, uma capa de livro com um cavalo branco em um fundo escuro ou uma propaganda com texto branco impressa em vinil. Esses tipos de acabamento são uma realidade com a nova White Dry da Xerox, inovação disponível na quinta estação de impressão da Xerox iGen 5 Press, que será lançada na Print 17, em Setembro, em Chicago.

“Esta é uma grande notícia para os clientes da iGen 5”, disse Jim Hamilton, diretor do grupo Keypoint Intelligence InfoTrends. “Este anúncio abre uma nova gama de aplicativos. Os designers vão adorar a capacidade de usar o branco em substratos coloridos e transparentes para criar itens promocionais, como folhetos, cartões de visita, cartões e convites, sinalização de pontos de venda, cartazes e cartas de mala direta e capas de livros. As oportunidades também se estendem a aplicações de embalagens como cartões dobráveis ​​”.

De acordo com a InfoTrends, o volume de aprimoramento de impressão digital deverá crescer em um CAGR de 27% de 2015 a 2020, chegando a 25 bilhões de páginas até 2020, nos EUA e na Europa Ocidental. Com a adição de White Dry Ink à plataforma iGen 5, os responsáveis pela impressão podem aplicar efeitos especiais para transformar peças impressas comuns, naquelas que exibem uma aparência única.

Nomeada vencedora do prêmio MUST SEE EMS 2017, a tinta White Dry da Xerox possui muitas vantagens, incluindo:

· A capacidade de imprimir apenas White Dry, bem como camadas brancas por baixo e em cima do sistema CMYK;
· Excelente brilho e opacidade que é possível em uma única aplicação;
· Múltiplo modo de aplicação automatizada para até duas camadas de branco. As camadas adicionais podem ser impressas manualmente para aplicações personalizadas.

“Estamos testando White Dry Ink com a nossa iGen 5 e vemos como uma grande promessa de expandir nossas ofertas para nossos clientes”, disse Alan Roberts, vice-presidente sênior da Data Communications Management Corp. “White Dry Ink tem ótimas aplicações para impressão sobre papel preto e outros papéis,  como uma base para criar cartões memoráveis, cartazes, sinalização e outras formas de materiais de marketing”.

A White Dry Ink será lançada durante o evento Print 17, entre os dias 10 e 14 de setembro, em Chicago.

Quais os riscos dos toners remanufaturados

Cartuchos de tinta remanufaturados costumam ser muito atraentes para os consumidores, principalmente em ambientes corporativos, que utilizam impressoras e multifuncionais diariamente, acabando por ter um algo consumo de tinta por mês. O custo reduzido do cartucho remanufaturado acaba representando um corte de gasto nos gastos da empresa, por um resultado de impressão similar. Porém analisando os prós e contras deste tipo de cartucho, você irá verificar que a relação custo-benefício dos remanufaturados nunca será igual a de cartuchos e toners originais.

O primeiro fator é a qualidade de tinta do cartucho remanufaturado, sempre inferior ao modelo original tanto em tonalidade quanto em secagem e durabilidade. Por não contar com a mesma tecnologia de fabricação, a impressão com cartuchos “piratas” ou mesmo bulk ink apresentam cores desbotadas, além de haver o risco de borrar a página assim que ela sai da impressora, por necessitar maior tempo de secagem. Logo é totalmente desvantajoso o uso deste tipo de cartucho na impressão de fotos, gráficos, apresentações ou outro tipo de impressão colorida.

Mesmo assim, empresas e escritórios que utilizam a impressora apenas para necessidades internas, principalmente impressão de texto, pode considerar que não há visualmente grande diferença entre o resultado final, ao comparar os modelos remanufaturados com os cartuchos originais. E mesmo as possíveis falhas na impressão não causaria transtorno. Porém além da qualidade de impressão há outro risco maior, a de danificar a impressora internamente.

Cartuchos remanufaturados costumam utilizar carcaças vazias de cartuchos usados. Ou seja, cartuchos que já sofreram o desgaste natural para a qual foram projetadas. Este tipo de material desgastado pode gerar vazamento de tinta após a impressão, que pode deixar resíduos na cabeça de impressão ou em partes elétricas importantes do equipamento. Este acúmulo de resíduo acaba por danificar a máquina a ponto de não ser mais possível utilizá-la, sendo necessário o reparo. E utilizar produtos não-originais no equipamento configura “mau uso”, logo tirando do usuário o direito ao prazo de garantia. E raramente uma fabricante ou fornecedora de cartuchos remanufaturados irá reembolsar ou pagar o conserto de uma impressora danificada devido aos seus produtos.

Além de tudo isso, cartuchos e toners originais podem parecer caros no momento da compra, porém fazendo o cálculo você poderá verificar que o custo por página costuma ficar abaixo de R$0,10 em impressoras de última geração. Existem inclusive toners e cartuchos de alto rendimento que reduzem ainda mais o custo para até mesmo R$0,01 por página!

Kyocera apresenta uma das mais rápidas cabeças de impressão do mercado

A Kyocera desenvolveu uma das cabeças de impressão de jato de tinta mais rápidas do mundo. A KJ4C-0360 é uma cabeça de impressão piezoelétrica de 360dpi, capaz de produzir na velocidade de 50 metros por minuto, disparando gotas de tinta com volumes entre 15 a 84 picolitros.

Desenvolvida para utilização industrial, a KJ4C-0360 possui largura efetiva de impressão de 109mm, trabalhando com tintas à base de óleo ou água. Além disso, a Kyocera conta com uma tecnologia patenteada de recirculação, que inibe a sedimentação e a secagem de tinta, mantendo a temperatura constante, o que previne falhas nos disparos de tinta.

A KJ4C-0360 permitirá imprimir, com alta resolução e velocidade, nos mais diversos materiais, como tapetes, cerâmicas e dispositivos médicos, como pílulas. Também é possível a impressão de qualidade em mosaico, incorporando todas as cores, desenhos e padrões possíveis.

A Kyocera expandiu sua presença no mercado europeu para a jato de tinta com a abertura de um novo laboratório de testes para cabeças de impressão em Esslingen, Alemanha.

A empresa japonesa está usando um gotas de observação em laboratório para investigar o comportamento de gotas de uma escala picoliter cabeça de impressão.

“A Guerra das Tintas”: O combate à pirataria no mercado de cartuchos para impressoras

Uma atualização de firmware criada pela HP para seus modelos de impressora no mês de setembro surpreendeu seus usuários. Ou, pelo menos, os que utilizavam cartuchos genéricos ao invés dos originais. De uma hora para outra as versões alternativas deixaram de ser reconhecidas pela impressora, inutilizando-as. Este é mais um capítulo da guerra entre as fabricantes de impressoras para combater o consumo de cartuchos não originais.

“Este é um fenômeno global. Na América do Norte a estimativa é que 16% dos proprietários de impressoras e multifuncionais utilizem cartuchos remanufaturados ou clonados. No Brasil você encontra em cada esquina alguém oferecendo o serviço de recarga de cartucho de tinta”, diz Anderson Martins, da Impressora.com.

Nos últimos anos a indústria de cartuchos genéricos se fortaleceu, com versões mais baratas que as originais, fabricados principalmente na China e comercializados pela internet. A queda nas vendas de cartuchos originais, devido à concorrência com esses modelos clones, gera grandes preocupações para fabricantes como a HP, que tem no mercado de cartuchos uma importante fonte de lucro.

“Os cartuchos desempenham um papel importante no modelo de negócio dos fabricantes de impressoras. Eles costumam vender suas impressoras com uma margem de lucro baixa, esperando recuperar através da venda contínua de consumíveis”, explica Martins.

Seguindo um caminho diferente, a japonesa Epson lançou no mercado suas impressoras com bolsa de tinta. Essa bolsa não só substitui o cartucho de tinta, como conta com ultra rendimento, dispensando a troca da bolsa durante toda a vida útil do equipamento. Além disso fabricantes como a Brother e Canon contam com modelos que utilizam tanques de tinta.

A recente aquisição da operação de impressoras Samsung pela HP por US$1,1 bi colocou em alerta fabricantes de cartuchos compatíveis. Conhecida por possuir uma tecnologia indecifrável de bloqueio de cartuchos genéricos, a Samsung agora deve passar seu segredo a frente e acirrar ainda mais a guerra das tintas.

O que é chip combo e chip full?

O chip combo é utilizado em impressoras que possuem o sistema de impressão bulk ink e já vem de fábrica no equipamento, o que o diferencia dos cartuchos originais que vêm lacrados.

O chip localizado no cartucho mede o nível de tinta. Quando ela chega ao final o chip reseta e o nível de tinta volta ao status de cheio. O chip apresenta um valor programado para imprimir, assim que o número é atingido, mesmo com tinta dentro do cartucho, o chip pode queimar. A vantagem é poder resetar o chip e voltar a usar a impressora sem problemas.

O chip full é usado em cartuchos recarregáveis e bulk ink. Suas características técnicas são as mesmas do chip combo. A diferença é que o chip full é vendido separadamente para cada cartucho. Ou seja, cada cor tem um chip e quando ele queima, basta trocar a cor que foi prejudicada.

Os dois tipos de chips são muito práticos. O benefício do chip combo é poder usar o botão de reset para voltar a imprimir e o chip full é mais econômico, caso seja preciso trocar o chip por algum problema.